ISAÍAS 35.3-4 “Fortaleçam as mãos cansadas, dêem firmeza aos joelhos fracos. Digam aos desanimados: Não tenham medo, animem-se, pois o nosso Deus está aqui. Ele vem para nos salvar”


Quando nós conversamos com uma pessoa desesperada, descobrimos que ela tem muitas experiências de fé, inúmeras provas do agir amoroso de Deus em sua vida. Porém, descobrimos também que a maioria delas simplesmente caiu no esquecimento. Muitas vezes acontece um fato trágico em nossa vida que faz com que nossa fé fique abalada. Mas Deus nos concede as forças para reconstruir a nossa fé a partir da experiência da proximidade do seu amor. Tudo isso faz parte da dinâmica da nossa fé. Mais trágico, porém, é quando deixamos a nossa fé adormecer, apagar, quando nos tornamos indiferentes, quando deixamos de enxergar a poderosa mão de Deus por trás de tudo o que acontece em nossa vida, seja nas horas agradáveis seja nas horas difíceis.

Quando acontece um acidente, por exemplo, os sobreviventes dizem que foi Deus quem estendeu sua mão protetora sobre eles. E o que dizem os familiares daqueles que faleceram nesse mesmo acidente? Seriam capazes de expressar a mesma esperança em Deus? Seriam capazes de aceitar que Deus é Deus tanto de vivos quanto de mortos?

Talvez seria exigir demais das pessoas. Talvez estejamos sonhando com uma comunidade cristã ideal: poder expressar esperança em Deus também em meio às derrotas e tribulações. Cada um de nós experimenta em sua vida diária tantos milagres que eles deveriam ser suficientes para cobrir os tempos sem milagres – desde que a gente não se esqueça deles. O que geralmente acontece !

Para poder afirmar tão claramente, como o fez o profeta Isaías, que Deus irá dar firmeza aos nossos joelhos vacilantes, que tudo irá ficar bom outra vez, é necessário ter uma vivência de fé, é necessário sentir-se na presença amorosa de Deus diariamente tanto nos momentos agradáveis quanto nas situações difíceis. Essa fé não surge nem se mantém por si mesma. Ela precisa ser alimentada.

Uma pessoa doente e abalada precisa ser visitada e consolada continuadamente. A fé cristã não é como um objeto que a gente adquire, um quadro que a gente pendura na parece e sempre estará lá quando olharmos para ele. A fé não é assim. Ela precisa ser alimentada diariamente.

“…Mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam.” Isaías 40.31

Geraldo Graf  (adaptado )

Os comentários estão fechados.